12 de agosto de 2010

sunshine...

Não sei ao certo o "por quê" de tudo isso aqui. Na realidade não sei por que ainda tenho um blog numa realidade onde vlogs são tão "cool" e tudo mais.
Deve ser porque sou um péssimo orador, gaguejo e se eu PENSAR em ver o que gravei, ou ouvir minha voz, sinto pena de mim mesmo, uma vergonha pessoa absurda que eu em breve terei de perder. Mas isso aqui não funciona como debate de mim para mim mesmo, afinal sou o único que sustenta a leitura dos mesmos textos amarelos e sem nexo que um dia eu ousei digitar.

O que eu realmente não entendo é o sentido de eu perder tempo pensando (exato, perder tempo pensando) em umas coisas aleatórias e sem sentido, não desmerecendo minha vida ou qualquer coisa relacionada a isso, mas sim desmerecendo o tempo empenhado e cada empreitada que faço de mim para mim mesmo, tentando desvendar os mistério em ser mais um Marcelo, sem sobrenome e sem qualquer tipo de vínculo com as severas realidades mundanas...

Não, eu não me considero um cara que seria um suicida em potencial e menos ainda isso é uma carta de despedida (certo que quem é suicida sempre diz que não é, mas eu sou muito preguiçoso pra bolar alguma coisa, e sei lá, cada dia a mais, é um a menos, então acho que não faria sentido eu me matar se já estou me matando... recapitulando) é mais voltada sim a uma auto reflexão que lerei em uns 2 dias, meses, ou em 5 anos, e pensarei: é, vale a pena ser um pouquinho assim.

Não se importar com os outros é muito fácil... se você é uma pedra. Aliás, acho que nem assim é fácil. Você vê injustiças, convive com isso de domingo a domingo, feriados, sabe que tá tudo na bosta, e vai fazer o que? Na realidade, sou do seguinte pensamento: uma pessoa pode tentar mudar o mundo. mas não pode mudar as pessoas.

Você é aquilo que é, e ponto final. Se vier alguém a sua porta e disser: Por acaso você conhece a palavra do senhor? Não o fará pensar: "nossa, não conheço. esse cara ai mudou minha vida."
Iniciativa de mudança tem de partir de dentro pra fora, e não o contrário. Podem vir 500 pessoas e dizer: Corta essa porra desse cabelo, faz a barba, para de usar drogas, arruma um emprego, cuide bem da sua familia, não trate sua mulher como lixo, não divida culpa ou transfira, larga desse infeliz que só tá atrasando sua vida.
Se você não para e pensa: "Mano, ta errado isso dai!" você não muda, quando você não enxerga o problema, ele simplesmente não existe.

Não dou exemplos pessoais, mas meu, problemas todos tem, eu tenho, você tem, a vida não é perfeita. Se você tem amigos, ta morrendo de fome, se tem comida em casa, não tem grana. Um problema e uma solução andam normalmente juntos.

Não quero me prolongar nesses textos, senão quando eu mesmo for ler isso aqui de novo vai me dar preguiça, entrei querendo escrever sobre umas coisas, acabaram saindo outras, mas é isso ai. A vida continua, amanhã é sexta-feira, semestre vai acabar, ela vai embora, é meio que por ai que ta andando o bonde.



e é assim que funciona: cochilou, perdeu.




-marcelo.wtf - stills that way.

5 de julho de 2010

that there's more love than hate...

Sei lá, ando meio "away" nos últimos tempos. Me degradando de dentro pra fora, e tudo isso, pra que? Pra quem sabe um dia esquecer que tudo isso é mais do que impossivel, que concretizar alguns sonhos é mera ilusão, e que a felicidade eterna não passa de um simples vazio imenso, que algumas pessoas dizem alcançar, mas que logo percebem que não passou de mais uma simples gota de felicidade, que logo se esvaiu?

E o que dizer ao coração que bate mais forte ao lado de alguém, e que por mais incrivel e surreal pareça, ele sabe que tudo isso não passa de ilusão, que culminará em desilusão, e que você também sabe de tudo isso, e continua nessa podridão que é fantasiar coisas, e não conseguir as ter?

Aqueles olhos azuis não me saem da cabeça, e por quê? Se algo que você quer que comece, já tem prazo de validade, pra que se arriscar? Pra que cair na insanidade de gostar de alguém, de se abrir, se relacionar, sabendo que uma hora, sendo boa ou ruim, irá acabar?

É estranho parar e pensar em tudo isso, mais estranho ainda é tentar escrever. Sempre tive medo de entrar de cabeça em qualquer que fosse a coisa, e por que LOGO AGORA eu me vejo tão livre e desimpedido de tentar, de nem que for quebrar a cara, tentar, por você, e só por você?




"Você estava tão linda, minha menina
como pode acontecer e eu me apaixonar por você?
Cabelos longos, olhos tristes, nada a dizer
somente o tempo poderá responder..."



_marcelo.wtf

23 de fevereiro de 2010

never gets respect...

é totalmente estranha essa minha vida, isso todo mundo já sabe. agora, não sei, acho que eu contribuo muito pra isso.


não deixo me conhecerem bem, não deixo que se aproximem, não deixo que me conheçam... tenho medo de que me conheçam realmente, afinal eu não sou um exemplo de boa coisa, muito menos tenho hábitos a serem seguidos... o que acontece realmente é que tenho medo.

medo de me machucar, medo de não dar certo, medo de tentar. quando tento da errado, não podem me culpar por isso...

medo é uma coisa estranha, como uma vez uma pessoa me disse "você tem medo de machucar os outros... mas principalmente de SE machucar. e é isso ai, eu tenho medo disso. de ir de cabeça como sempre faço, e acabar por sozinho, sofrendo, chorando. é estranho, mas é a realidade.


não quero ser assim, mas quero esperar. quero esperar pra ver se o que eu to fazendo é certo, e se não serei machucado.


i'm not giving up to you... it's just so hard to get it right, that makes me feel insecure...



-wiseman

18 de fevereiro de 2010

have u heard about it?

não sei, realmente não sei, o que se passa na minha cabeça. são intransponiveis as barreiras que nos cercam, mas eu continuo tentando o impossivel, dando tiros no escuro pra ver "qualé que é".
já parei com o discursso de que "eu sou diferente" porque isso não cola mais. estou tentando mais o seguinte:
"eu sou louco"


é, deve ser loucura o que se chama isso. se não inventaram um nome ainda, me liga.
loucura de se achar completamente preocupado com o futuro e esquecer do presente, de planejar e ter sonhos que eu mesmo destruo, loucura de não abrir totalmente o coração, e quando o fazer, abrir a porta errada, que vai me levar a um destino de dor e sofrimento.

but that's what love really is, don't you know?

é loucura, é perdição, é tomar tapa na cara e achar que ta tudo uma maravilha. é sofrer, é chorar, é se perder num caminho sem volta. eu sei, eu amei. e não me venha com a palhaçada de que "não era amor, era momento" porque quando se sente o que se sente, você sabe. pode amar 1 vez na vida, ou 127, não interessa. você sabe, você come merda, o pão que o diabo amassou pela pessoa, pra ve-la com um sorriso nos labios, mas sabem como é: it's never enought.

ai a pessoa se torna fria, manipuladora e mesmo quando está completamente apaixonada não da o braço a torcer de maneira alguma. o que é que dizem? "nossa, mas como ele
é ruim".
não se trata de ruindade. nunca se tratou.
se trata de cuidar do que é seu. ou do que você quer pra si. uma vez li uma coisa que me deixou intrigado: você não se lembra de quem te deu bom dia. mas lembra perfeitamente de quem te mandou a merda de verdade.

e essa é a real. ninguém trata o amor como ele deveria ser tratado: como um sentimento.
tudo rola no sentido de troca. "eu te dou o meu, e vc me devolve da mesma maneira".
quando isso acontece, é ai que tudo se perde. perde o tesão, perde a linha.

o duro é ser como eu sou: cego. não no sentido literal, mas no sentido de que "se eu quero ter, eu faço de tudo."

pois é, tenho ciume até do que não me pertence. tenho tendencias socias meio requintadas para não dizer "retardadas". mas é o que nos difere que interessa não é?

eu gosto do que me assusta, do que normalmente eu não posso ter. mas pra que me contentar? quem se contenta assume a própria falta de objetividade e de força para lutar.

eu não me contento, não importa a quantidade de empecilhos. só me vejo parado, quando não tem mais jeito. ou algo muito forte me impede, ou eu simplesmente canso das injustiças que acontecem.


cometo algumas, é fato. mas quem sou eu? sou só mais um cara, que sofre, que chora, que pode ter merda na cabeça mas que tem MUITA vontade de se expressar, de amar, de querer bem.

sou de opostos. ou eu fico perdidamente apaixonado, ou se eu vejo que não é por ai, prefiro ficar sozinho. alguns me veem como vilão, mas não entendem meu ponto de vista.
odeio fazer outros de palhaço. quando vejo que to fazendo cagada ja, prefiro ficar sozinho a atrasar a MINHA vida e a de alguem mais. posso ser a pessoa mais errada do mundo, mas ninguém pode me culpar por ser espontaneo.

tento ao máximo coisas que me aproximem de quem eu quero, e vou querer, e quero querer. se eu não quiser, serei um idiota. um completo imbecil.






so, if you try harder, you get harder. than you can tell me what love is, cause i don't believe anymore in "Mariah Carey" stuff!




-get close or go home.

11 de fevereiro de 2010

wtf?

nada melhor do que um pouco de reflexão sobre qualquer coisa pra aguçar um pouco o que a muito estava quieto.
tava pensando sobre o que sou, quanto somou-se a mim nesse pouco tempo, quanto subitraiu-se... quais as pretenções, ambições, sonhos, devaneios. coisa boba, mas sempre bom estar pensando em coisas do genero. faz você colocar os pés no chão e meditar sobre qual rumo tua vida ta tomando, sobre o quanto mudou de 2 anos, 1... 2 meses, enfim, guinadas a vida sempre da, o que não dá é pra ficar imovel, inerte diante das mesmas.

quem sou não é muito segredo. sou um cara maleavel (maleavel não significa manipulavel), tento me adaptar ao que me é servido, sempre buscando algum tipo de coisa prazerosa/util de cada situação. escorpiano (se é que o mês e ano pode influenciar no temperamento da pessoa), determinado, preguiçoso, na medida do possivel tento ser competente e seguir o que prego (afinal alguem que não segue o que diz não deve ser levado em consideração).

sonhos todos temos. o meu não é um sonho daqueles: ganhar na mega-sena. isso não é sonho, é sorte. sonho formar uma familia, que seja consistente, unida e que se ame (sonho americano?). sonho ter meu emprego, meu dinheiro, não desmerecendo quem me sustentou e sustenta a tanto tempo, mas sim dando devido valor a meu potencial e credibilidade. ter um carro, uma casa, morrer velho, fim. faça-me o favor. quero viajar de norte a sul, de leste a oeste (...) sei lá. sonhos eu vou tendo conforme a necessidade vai aparecendo.

pessoas a quem devo agradecer? primeiramente a Xuxa (...), enfim, ao meu avô paterno, pessoa a qual sempre esteve ao meu lado para tudo que eu precisasse, minha avó paterna, a quem aos trancos e barrancos sempre tentou me colocar no caminho certo para que eu fosse hoje a pessoa que sou, meu pai, uma pessoa algumas vezes séria e dura demais, creio que nunca fui o tipo de filho "próximo", mas em questão de integridade e pessoa, não tenho o que discutir. se possivel, queria ser um pouco de cada um desses dois. minha mãe, que com muito custo me criou, sempre com um sorriso nos labios e um coração absurdamente grande, a quem devo antes de tudo a vida. a outra mãe que me acolheu praticamente como filho, me dando atenção e carinho em proporções consideraveis. além disso sou obrigado a citar minhas irmãs e meu irmão, todos lindos, maravilhosos e de um coração muito grande, não sei se consigo ser o melhor exemplo de pessoa a seguir, mas sempre tentei passar o máximo de coisas boas que consegui. Avos maternos, os quais até onde puderam sempre me deram todo amor e carinho possiveis, amigos próximos, pessoas com quem cativo um carinho especial faço questão de explicitar.

sei lá, a vida nunca foi facil, pra alguns menos do que pra outros, é tudo muito complicado, muito chato, muito dificil.
life ain't easy.

numa maneira arcaica de se analisar, a vida é como uma musica. tem apices, baixos, começo e fim. nada além, nada aquém.

não espere muita coisa, FAÇA muita coisa.

isso não é um desabafo, é um comentário acerca do que sou e de onde vim. se interessa, bem. se não, não me interessa.

caso alguém perca tempo lendo esse texto na integra, tenho só um ultimo aviso:
ou seu copo está vazio como o meu
ou sua cabeça está cheia como a minha.



sem mais.
-...

you better pray

time to get creative.


cara, essa semana em sp foi paulera pra caralho, segunda e terça sem geladeira, sozinho.
achei que ia surtar. sério. não achei que a vida pudesse ser tão solitaria, ainda mais numa cidade desse tamanho.


sei lá, comecei a pensar em coisas que nunca tinha pensado, influenciado pela tv que me era disponivel (TvSenado, Tv Camara e afins) acabei por ver coisas das quais sequer sabia da existencia.


sabiam vocês que as obras do dito PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) são totalmente isentas de qualquer lei ambiental prevista ou não na consituição brasileira? para leigos, eu explico.
se algum retardado projetar uma usina hidrelétrica perto de centenas de cidades ribeirinhas, sabe qual sanções legais o vagabundo seria obrigado a levar em conta? NENHUMA. exato, o cara poderia até inundar a casa de, sei lá, uns 25 mil habitantes, que estaria isento de qualquer culpa ou ação judicial, simplesmente por essa merda ser isenta de qualquer tipo de barreiras judiciais.
outra coisa, o presidente Lula colocou em votação para que obras do Pré-Sal sejam revistas por motivo de que há indicios de que as obras estejam superfaturadas.
AAAAAAAAAAH, mas que maravilha. ninguém sabia disso né? de que geral ia querer tirar uma lasca do dinheiro publico nessas obras feitas para pura e simples POLITICAGEM!
acho hipocrisia a galera pensar: o Lula é bom pq ele da o bolsa-familia assim como era imbecilidade pensar que Só o PSDB era corrupto.


ABRE O OLHO BRASIL!

2 de fevereiro de 2010

somebody save me

quanto tempo não? sei lá, férias, eu entro no clima de sossego mesmo.
sossego até mental.

me da preguiça de pensar, de refletir, de tentar mudar, e perceber que na real não ta acontecendo nada diferente do que a pouco tempo atrás.
tá tudo parecendo repetição, mesmas coisas, mesma vida.

vamo ve se isso começa a mudar. e se não mudar, mudo eu.


:D


-marcelo