23 de agosto de 2009

the day that never comes...

Eu pretendia deixar só meu texto antigo hoje postado. Mas to querendo escrever sobre mais um absurdo que pra variar passou meio despercebido esses dias.

Cheguei a fazer um tópico todo sobre o absurdo da Igreja Universal, porque convenhamos, aquilo lá beira o absurdo, a intolerancia, a arrogancia em chamar o povo de BURRO na cara dura. Tá bom, ai chega essa semana, e o que acontece? Arquivamento de todos os processos envolvendo José Sarney.

Vamos por partes. Como todos sabem, o senado é uma "maracutaia" sem tamanho/precedentes, todo mundo metendo a mão (generalizando, claro. Tem gente competente lá), ninguém quer saber de nada, volta e meia colocam uma lei em pauta, quebra-pau, intrigas entre direita e esquerda. Nada fora do comum.
Primeiro passo alarmante: abrir um processo. Grande parte da galera que ta lá rouba, isso é um fato. Rola sempre aquela de direita/esquerda quererem tomar o poder, ai então é uma troca de elogios, uns jogando os podres dos outros no senado. Até ai acho saudavel, porque se os parlamentares não soltarem os podres dos próprios parlamentares, nós é que nunca saberemos que destino teve aquela escola/hospital/casa popular, que não saiu nem do papel. As denuncias são vastas, envolvem desde uso indevido de poder pra beneficiar parentes (o certo é cargos assim serem preenchidos por meio de concurso publico), até fraude em venda de terras (pois é, não é só você que sonega imposto/cria nota fria).
Segundo passo alarmante: não foi UM processo/representação. Foram 11, e adivinhe? Os 11 foram arquivados. Porra, um ainda vai, dois a gente pensa. Agora 11? Vamos ver, que é que tem o poder de arquivar/não-arquivar um processo? O presidente do Conselho de Ética. Tá certo, quem é o cara? Paulo Duque (PMDB - RJ). Bom, vejamos, O CARA É ALIADO DO SARNEY! Que crédito pode ser dado a um processo que é arquivado por um ALIADO da pessoa processada? (se você pensou em NENHUM, a resposta está certa)

O pessoal não está prestando atenção. O Sarney pode muito bem ta indo pro pau, mas ele já sabe, se ele cair, muita gente cai junto. O pessoal pra não cair, tá tentando colocar panos quentes, apaziguar, fingir que não passou de uma balburdia, e que já está tudo lindo, tudo azul. Não é bem por ai. Mas vejam, o Palmeiras ganhou! O Rubinho Barrichello também ganhou! A Miss Brasil foi eliminada. Qualquer noticia boa que vier, é motivo pra esquecer a palhaçada que já virou a politica no Brasil.

Conselho de Ética, que de ética só tem o nome, população que não liga pro que ta acontecendo, acha que tudo é culpa da crise. Isso é pura incompetencia.

Mas quem sou eu pra abrir minha boca. Nem conta eu pago.
Só assisto, de camarote, cada dia a abençoada terra que os portugueses transformaram em puteiro, zona, depósito de bandidos, dar seus frutos.


Na minha terra tem palmeiras, onde canta o Sabiá.

quem me dera.




(fugindo do assunto, preciso de uma chance...)
-marcelo

disappear

Texto antigo. Mas faz parte também, já que ninguém lê!


“...em meio a terceira xícara de café, a esse sentimento demente que me assola o peito, e o milésimo pensamento fútil, inicio essa reflexão sobre um poema, que na realidade supera a real denominação de poema, e já se torna algo como um pensamento, um sentimento, uma reflexão. Assim sendo, inicio agora a reflexão sobre outra reflexão, muito mais renomada que minha singela opinião aqui mostrada, mas que no entanto, não deixa de ser digna como o mais conhecido dos romances de Shakespeare.
...pouco, diria. Quase nada. No entanto, sábios são aqueles que conseguem absorver, mesmo que 10%, de um fabuloso pensamento como o mostrado no poema. Sim, diria eu que este é, sem sombra de duvida, uma das mais sinceras e belas palavras a cerca da vida, que já foram escritas. Afinal, o mundo vive hoje num constante disparate em que todos querem se mostrar melhores, mais poderosos, mais ricos... No entanto, fogem da real significância do próprio ser, do próprio viver. Afinal, de que serve toda glória de se mostrar superior ao próximo,de se mostrar influente, simplesmente para alimentar o próprio ego, sendo que a felicidade não será encontrada em nenhum escritório, em nenhuma conta bancaria, em nenhuma festa. A felicidade, real felicidade, não é encontrada por todos, pelo único motivo de que todos procuram onde foram ensinados, e não onde realmente deviam procurar. Que é na própria vida, no próprio viver...
concordo que é absurdo, a primeira vista, a idéia de que a felicidade se encontra no simples respirar, no simples acordar de cada manhã. No entanto, por que a felicidade haveria de estar em algum outro lugar? Não procuramos felicidade, pois a felicidade somos nós que fazemos. Não procuramos amigos, procuramos pessoas que nos façam felizes. A nossa eterna busca por felicidade, sempre é, e sempre será incompleta. Por quê? Pelo simples fato, de que a nossa ignorância nos cega a ponto de não encontrarmos o que já se encontra em nós mesmos. Procuramos tanto, a felicidade em outra pessoa, que acabamos por esquecer de procurar no lugar mais óbvio. Que local é esse? Em nós mesmos...
a real felicidade, se encontra naquele que a sente. “Rega tuas plantas, ama tuas rosas. O resto é sombra de arvores alheias”. AMA-TE, antes de procurar amor. ADORA-TE, antes de procurar por idolatria.
Nada foge disto. Procuramos a vida toda, por alguém como a gente, alguém que entenda dos nossos sentimentos, alguém compreensivo, alguém que nos acaricie quando sentimos carência, alguém que nos abrace com ardor, com ternura. E com isso, simplesmente fechamos os olhos, pra realidade, pra vida. NÃO HÁ NINGUÉM QUE TE ENTENDA! Mesmo que você procure a vida toda, por sua alma gêmea, nunca a encontrará; “Só nós somos sempre iguais a nós - próprios.”
Viver, simplesmente viver. É isso que todos nós deveríamos buscar durante nossa passagem pela Terra. Ao invés de se importar tanto com sentimentos, com afetos, com vínculos, com amores. A maioria dos grandes filósofos, eram sozinhos. Sem mulher, filhos, família. Seriam eles loucos, por manterem uma vida de reclusão, alucinações, demências? Ou, seriam eles gênios, que ao verem que a felicidade estava num simples acordar, num simples se levantar, perceberam que qualquer outra forma de vida que pudesse corromper essa perfeição era descartável?
“A solidão é a sorte de todos os espíritos excepcionais.”
Arthur Schopenhauer
A vida, não é como a matemática, a álgebra, a geometria. A vida, simplesmente é a vida, sem mais nem menos. Não espere um mundo de fantasia, nem histórias comoventes, muito menos milagres. Não questione sobre o sentido disso tudo. “Para onde vamos? De onde viemos? O que é a vida?”. Perguntas normalmente comuns, no entanto, tenho uma visão extremamente fechada sobre o sentido, futuro, passado. Minha visão é a de que, nenhuma visão está certa. Não há um porque, nem tudo pode ser explicado com simples palavras, e nem precisa ser explicado. Basta existir, para ser importante. Nada precisa ter um significado obscuro, uma interpretação. A vida, está aqui com o simples objetivo de ser vivida, e não de ser explicada. Portanto, não a questione. Ela nada pode dizer-te.
Termino então, conservando a idéia de que uma vida, não tem por objetivo ser definida, ser delimitada, ser trilhada. A vida, tem como objetivo central, simplesmente ser a vida. Sem indagações sobre presente, passado e futuro. Nada precisa de um significado, para existir...”


“A vida não é a que cada um viveu, mas a que recorda
e como a recorda para contá-la.” - Gabriel García Márquez
“O Homem vive preocupado em viver muito e não em viver bem,
quando afinal não depende dele viver muito mas sim viver bem”. - Séneca


-marcelo

20 de agosto de 2009

you're gonna go far, kid.

Impunidade.


Acho que essa é a primeira palavra que deveria ser lembrada quando pensamos no Brasil. Sinceramente, não sei direito como é que isso aqui está de pé (se é que já não começou a ruir). E isso não difere de cor, credo, classe social nem de status na sociedade.

É minha gente, tem deputado, parlamentar, empresário, motoboy, desempregado, e agora pasmem, até bispo nessa brincadeira.

Tá, agora falando sério, é absurdo que ninguém consiga enxergar o que está se passando, ta passando na Globo, na Veja, IstoÉ, só na Rede Record que não (por que será?).
Eu peguei pra ler essa parada, porque tava meio "away" do que tava se passando na televisão (só tinha sido informado da briguinha globo/record, coisa que achei normal), ai me deparo com um grandioso esquema de lavagem de dinheiro, apropriação indevida de dinheiro, sonegação, formação de quadrilha e o caralho a 4 (o blog é meu, eu posso chingar).
Será que ninguém percebe o IMPÉRIO que esse cara ta fazendo? (pra inturmar a galera, o senhor Edir Macedo montou um MEGA esquema de lavagem de dinheiro por meio da Igreja da qual ele é "pastor", a Igreja Universal do Reino de Deus. O cara prega a lei do "dar para receber", quanto mais você da a Deus, por meio de dinheiro, posses entre outros, mais Deus vai te dar em troca. E nessa brincadeira, o cara consegue arrecadar com suas igrejas - que no momento são dispostas em 160 PAISES - cerca de 1,4 bilhão livre de impostos, visto que igrejas são isentas de taxa tributaria para dizimo. Ai por meio de empresas laranjas, que dizem executar serviços a igreja, ele coloca o dinheiro fora do pais. Posteriormente, em nome das mesmas empresas, ele pede EMPRÉSTIMO aos bancos, com isso pega o dinheiro de volta, e com isso compa mansões em Miami, um jatinho particular, constrói casa em Campos do Jordão avaliada em 2 milhões, entre outros).
Pô, eu não acho ruim o cara ter uma igreja. Acho que deve mesmo ter, pro pessoal ter onde se apegar, ter fé. Muitas pessoas em depressão, problemas com alcoolismo, ex-presidiarios voltam-se para essas igrejas, e com isso conseguem mudar de vida, esse é um ponto positivo, acho legal e tudo mais. Mas por meio do dinheiro de assalariados, que vendem o almoço pra comer na janta, o cara ta nadando no dinheiro, chega a colocar metas na arrecadação, tipo R$150.000,00 por igreja, coisas abusivas. Ta extorquindo a galera na cara dura, e o TJ nada ta fazendo!


Sei lá, acho que chegamos ao cúmulo do individualismo. Ninguém pensa em ninguém, só no bem próprio.

Como disse o amigo Matías DeFederico, ao sair do time Húracan - ARG:
"O último que sair, apague a luz."



-marcelo

18 de agosto de 2009

you know that i'm no good...

Complicado essa de querer ser publicitario.
Tô falando sério meu. Pra começar tem essa de ter que escrever tudo certo, estudar de tudo um pouco, saber cores, sabores. Campo concorridissimo, desde publicitarios propriamente ditos, até designers, administradores, marketeiros. Todo mundo querendo (e conseguindo) um certo espaço no meio da bolha que engloba campanhas, folders, planejamento, pesquisa, publico, emissor, televisão, radio, internet. É um rolo fdp...

E ainda tem essa, a gente praticamente cria tendências, ou pelo menos direciona o público para o qual estamos trabalhando para certo lugar, damos opções, diretrizes. Ai vem hoje uma mulher e me pergunta se gosto se discute. A principio a gente pensa "claro que não, o que define o gosto é com o que a pessoa se sente bem, se sente confortavel. Depende da cultura, da bagagem, do local onde a pessoa mora. Há vários aspectos, mas a principio gosto não se discute".

Tá certo, não se discute. Mas e ai, você vai fazer, digamos uma camiseta. Como é que você não vai limitar o gosto da pessoa a sua própria criação? O que você fez, é algo de seu gosto (particular ou comercial), agora o gosto pessoal não é meramente coisa de "Cada um tem o seu", está mais pra "Cada um direciona o seu pra algum lado". E o que direciona o gosto? Campanhas, amigos, internet, enfim, diversos fatores.

Pra que será que a Nike, Adidas, Puma patrocinam na sua maioria jogadores de futebol? Para que todos vejam seus produtos em pessoas de sucesso, logo almejem o mesmo material, para quem sabe estarem mais parecido com o tal jogador. Da mesma maneira que colcci, carmin, triton, CK, direcionam para outros grupos sociais, que são normalmente assistidos pelo seu público alvo.

É disso que se trata. De induzir, mesmo que involuntariamente, para o produto que você deseja promover.

Só há dois extremos nesse jogo de indução: de que modo usar e com que finalidade usar.



para bem? mal?




isso ainda será decidido.

-marcelo

17 de agosto de 2009

she's sweet...

é, mais uma vez, quando a gente acha que ta tudo na paz, tudo quieto, passa algo por você, faz você sair um pouco de si, correr, suspirar, imaginar.
e tão inesperado como veio, vai embora. deixando a vontade, o sonho. tudo pra trás.





na vida é algo meio isso.
meio aquilo.


vai saber.



-marcelo

13 de agosto de 2009

Times like THIS!

é tudo tão complicado assim mesmo, ou é comigo que a coisa acontece diferente?
sei lá, todo mundo precisa tomar na cabeça pra ver se acorda, pra ver se disperta e percebe que não é bem por ai que acontece. adquirir maturidade é necessário.

sabe, estar vivendo numa utopia as vezes é complicado. pare e pense: você está numa cidade onde poucas pessoas te conhecem, alguém está pagando o aluguel, alguém paga a faculdade, alguém te da dinheiro a semana toda, ta certo. esse dinheiro vem DA ONDE? o que você ta fazendo pra merece-lo (se é que merece)? precisamente, POR QUE me nego a perceber que isso tudo que estou vivendo, tudo num sentido real e literal, beira quase que totalmente o nonsense, o contrário do realismo, a mentira?

ta na hora de mostrar que o "homenzinho" do papai, aquele que brincava de bonequinho, jogava video-game e mijava na cama cresceu, e deve-se fazer com que os outros percebam isso. não por meio de palavras, de meio-termo, de mentiras. por meio de atitudes.



preciso vagar por ai, receber mais algumas doses de realidade (ou de vodca). ainda não me acostumei a essa nova realidade.

e viva, mais uma vez, aos sonhos despretensiosos, os quais você tem a absoluta certeza de que nunca se concretizaram.
or not.

-marcelo

7 de agosto de 2009

será que o senhor se zangou?

acho interessante como hoje em dia, coisas que anteriormente tinham todo valor, já não valem nada.
verdade, pare e pense um pouquinho só. o sal já foi moeda, hoje não passa de tempero, o exército já tomou o poder, hoje perdeu incentivo financeiro por parte do governo, e teve de diminuir seu contingente em 75%.

bem como, algumas coisas continuam a valer muito, enquanto outras continuam valendo nada. o petróleo, diamantes, ouro, água, independente do lugar, estação do ano, valem muito. agora saúde, educação, miséria do próximo, desigualdade, corrupção, parecem ter ainda o mesmo valor: zero.

não é querer pregar socialismo, porque na minha opinião um mundo sem ambição é utopia, em que todos seriam iguais perante a Deus (ou não), enfim, agora pregar a IGUALDADE é coisa diferente. igualdade não de espirito, não perante a Deus, Buda, Ganesha ou qualquer outra entidade, igualdade perante os homens, igualdade de sair de casa, sem largar filhos, mulher no sertão, na fome, na miséria. Igualdade de oportunidade, de todos terem chance de ter algo, de poder comer bem, de se vestir, de não precisar roubar um pão pra se alimentar. Igualdade entre homens comuns e governantes, porque a partir do momento que uma lei anula a outra, que todos devem ser julgados igualmente perante a lei, no entanto parlamentares tem um tribunal especial, no qual a pena máxima que já vi ser aplicada foi a perca de cargo, abdicação, prisão domiciliar, isso não é igualdade, isso é privilégio.

quando se cogita um reajuste de aposentadoria, de 2%, já vi parlamentar falar que isso é absurdo, abusivo, impensável. mas ai na semana seguinte discutem na maior tranquilidade reajuste salarial para sua classe, de digamos assim, 35%. como se os milhões que faturam mensalmente fossem realmente pouco, num pais que o salario minimo fica próximo a R$500,00.

valores dados a cada cidadão só são indicios de uma sociedade precaria, futil e despreparada, pois isso virou um antro de cães raivosos, onde um só espera o outro bobear, pra lhe puxar o tapete.

sei lá, acho que era só isso. sou novo por aqui.


-marcelo