6 de dezembro de 2009

we just don't care

eu sei, eu sei, ando meio ausente disso aqui. avesso a aquilo ali. faz parte da vivencia de cada pessoa, não acha?

sei lá, ando meio por aqui, por ali, correndo atrás, me ferrando, perdendo horas de sono (seja por lazer ou por necessidade), cansado das mesmas coisas, dos mesmos sabores, sem nenhum desafio.

quando acabo por achar, ele se mostra REALMENTE um desafio.
fazer o que
I ask for it.











get the fuck up!


-wOw

18 de novembro de 2009

the party song

Êêêêê Brasil :) essas coisas me deixam contente com o governo, com o sistema judiciario, e com a constituição dessa merda.

Vejamos os fatos: o Brasil é, sempre, o maior acolhedor mundial de traficantes, terroristas, pessoas que realizaram crimes de guerra e afins do mundo, isso é um fato consumado, desde a época dos nazistas e afins (vide Josef Mengele, médico que fazia experiencias em humanos na era Hitler).

Todos também lembram dos boxeadores que, ao participarem do panamericano no Rio, acabaram por abandonar os alojamentos cubanos, e a tentar se exilar no Brasil, como lutadores. Não colou, o governo brasileiro achou os boxeadores e os despachou para o pais do finado Fidel.
O fato é que, os dois não fizeram nada, não cometeram crimes absurdos, somente abandonaram os alojamentos e tentaram formar uma vida longe do regime socialista de cuba, visando uma oportunidade, uma chance. Fazer o que, não tiveram sorte.

Agora, Cesare Battisti, um terrorista italiano que ja se exilou na França, estava vivendo calmamente no Brasil. Eis que, ao ser preso, nosso ministro da justiça Tarso Genro tem a BRILHANTE idéia de exilar o maniaco no Brasil (é claro, se Fernandinho Beira-Mar fosse pego na Inglaterra, por exemplo, eles iriam adorar, exilariam e ainda o deixariam traficar e roubar a vontade). O caso conseguiu chegar até o STJ, vulgo Superior Tribunal de Justiça. Tá certo, agora os caras resolvem, e o que resolverem ta decidido... ERRADO. Os parlamentares votaram por 5 a 4 pela extradição do terrorista, mas a decisão tem que passar pelo Chefe de Estado, chamado Mul... digo, Lula, para que ele sim decida o que vai acontecer.
Agora Lula está num dilema, se aceita a decisão da extradição, vai ir contra o seu governo e contra o seu ministro, e se votar contra, vai negar o que o TSJ decretou.

Afinal, qual é a finalidade de um Superior Tribunal de Justiça se quando eles decidem algo (e olha que isso já é dificil), a decisão ainda tem que passar pela mão de mais gente, antes de ser decreto? Qual a finalidade de se ter 3 poderes, se um se involve a outro, opina no outro, muda as decisões do outro?
é o seguinte, ou para com essa putaria (é, tá uma putaria isso dai) de medida provisória, que só aumenta a falta de poder decisivo de cada poder dentro de seus próprios assuntos, ou vai acabar virando uma unica EMENDA a nossa constituição: Ninguém apita nada, quem manda é quem tá de acordo com os interesses do Chefe de Estado, E PONTO FINAL.




-kozh,wOw ou -marcelo :D

11 de novembro de 2009

let me tell you a history

Sabe aqueles dias em que você coloca uma musica pra tocar, apaga as luzes e simplesmente olha pro nada, pensando em coisa alguma, simplesmente sentindo, ouvindo, não com os ouvidos, mas com o coração?

Exato, aqueles breves momentos em que você para com tudo, para com a vadiagem, com as coisas importantes, com os pensamentos absurdos e com as idéias cheias de pretensões que todos temos, de segunda a sexta. Parar e sentir, parar e ouvir, parar e viajar, mesmo que por 3:41 minutos, ou pela vida toda, sobre alguma coisa, ou sobre coisa alguma.

Mais da metade da sua vida são passados na sua cama, outra grande porção na barriga da mãe, mas nada se compara a imensa parcela de tempo em que você investe tempo, investe dinheiro, sempre pensando no futuro.

Ai o futuro vem, e você continua pensando para frente, em como vai ser quando se casar, trabalhar, envelhecer.

Então você casa, tem filhos, e ainda sim vislumbra a velhice, as viagens, o tempo que terá para si.
É então que vem a tão “sonhada” velhice, e você somente enxerga uma coisa: o tempo que foi perdido em investimentos de longo prazo, em dias e noites no qual você furtivamente tentava em poucos segundos se esquecer de tudo, sonhar. E que agora, passado tanto tempo, ficou longe, ficou tarde, e você não tem mais aquela disposição, não tem mais aquela vontade, aquela paixão por poucas coisas, como por um cd novo, uma xícara de café, ou um simples abraço de alguém que não mais está presente.

Pare, pense, não reflita muito, pois o objetivo disso tudo não é mais perca de tempo. Também não vá achando que “vou tocar o puteiro” por achar que pode ficar tarde. Simplesmente pondere, sinta, VIVA.






Vingança não supera, assim como empatia não convence.


-kozH

29 de outubro de 2009

i can never say never..

sei la, quanto mais velho, mais sentimental você fica. to percebendo isso já. :/

vida passando, voce ficando cada vez mais cara a cara com a maturidade, mas com medo, receio de arriscar, de correr atras, medo de perder essa que eh talvez a melhor fase da sua vida.
medo de responsabilidade, medo de errar, medo de quebrar a cara.


sei lá, são os meus medos pelo menos.

tenho medo, quem não tem? o problema da grande maioria é não aceitar suas limitaçoes, seus receios, e com isso acabam fazendo cagada a torto e a direito, sem perceber, e sem voltar atrás!

bom, é isso. não to em clima pra escrever, muito menos pra pensar.


-wOw

27 de outubro de 2009

sulfur


não sei muito bem o que anda acontecendo comigo. to meio zoadaço essa semana.
vai ver é algum reflexo... reflexo de que to ficando velho.



tava aqui pensando, como tem gente escrota nesse mundo. que só por ter dinheiro, poder, ou até pode não ter merda nenhuma mesmo, mas por achar que tem, trata os outros com desprezo, com ar de superioridade, com indiferença.
expressa bem o que eu acho dessa merda toda.

outro ponto importante é o quanto o sentimento não ta valendo mais nada. ninguém quer saber do outro, acha que sozinho se faz feliz, e não pensa o MINIMO pra agir, fazendo com isso outras pessoas, que na real não merecem nada de mal, sofrer.


só falo isso. não sou certo, não sou daqueles que nunca errou.


keep going. someday you'll see what become all that love.


-wOw

22 de outubro de 2009

bullet been fired

é minha gente, a gente deixa de contar, mas não deixa de acontecer.
desilusões, martirio, felicidade sim, mas em doses homeopaticas que é pra não acostumar.

tentar enganar o que se quer é infantil e insensato, bem como confiar cegamente. pessoas tendem a ser maliciosas, egoistas, filhas da puta em um portugues correto.

imbecilidade é confiar, é pensar diferente, é ser cego o suficiente pra não ver o que ta IMPRESSO e colado na tua própria testa.



algumas coisas nunca mudam. eu com meu jeito, você com o seu.


wait and see the sunshine. maybe it'll get better :)


desculpa a falta de criatividade, é que ta osso.


-marcelo

21 de outubro de 2009

the other me is dead

faz tempinho que não coloco nada aqui.
aguardem, amanhã sai algo dessa minha cabecinha imbecil e demente :)




por hoje, só desculpas, arrependimentos e um pouco de sono.



-marcelo

29 de setembro de 2009

can you take me higher?

acabei de assistir um filme que me deixou meio, digamos, encanado.
além de ser uma "puta critica" como certa vez um amigo meu disse, ele nos faz pensar: será que não vivemos todos em redomas de vidro, ou vendo através de um binóculo, tendo assim uma visão errada da complexidade da situação real que vivemos?
as vezes, para nossa própria proteção, nos negamos a ver a total intensidade de atos/ações/situações, e com isso acabamos por ter uma visão torta, maquiada e errada do que realmente acontece.

siga esse raciocinio (como normalmente quase todos fazem): o governo está uma merda, eu estou quase falido, o ensino está ruim, a saúde pública também, inflação entre outras coisas. certo, o governo muda, mudam os planos da economia. eu começo a ganhar RIOS de dinheiro. a saúde CONTINUA uma merda, bem como o ensino público. a inflação baixou. o governo passa então, a dar uma mesada para as pessoas que vivem a BEIRA da miséria, para que elas, não pelo suor do seu trabalho (pelo fato de não terem um) ganhar dinheiro.
veja por esse angulo, pois ele é adotado pela maioria: eu sai de um estado ruim, para um estado bom, logo que atravessei essa linha, a linha da pobreza, o ensino publico e o sistema de saude publica nao me interessam mais, pois eu tenho dinheiro o suficiente para pagar uma escola particular, e um plano de saude.

certos raciocinios, de "privilegiar" a classe de maior poder aquisitivo REINAM na nossa atual sociedade. e eles simplesmente maquiam a pobreza com bolsa familia, bolsa escola, prouni, sistema de cotas. acho particularmente, que pode sim ser implantado esse sistema de cotas. só que numa ação conjunta com o GOVERNO e o MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, pois se eles acabam por afimar que pessoas de escola particular tem vantagem em faculdades, pelo ensino que tiveram, porra, então arrumem o ensino publico, para que isso não aconteça mais!



só que enquanto ninguém agir, vai continuar desse jeito: uma mão lava a outra, e posteriormente, as duas voltam para o lixo. lixo esse que está transbordando no senado, e sugando a cada momento uma parcela PRIMORDIAL no dinheiro que nós, o POVO, fornece.

parabéns, você acaba de compactuar involuntariamente com a corrupção!







sei lá, loucura não acham?
-marcelo

27 de setembro de 2009

can't you hear my motored heart?

é, hoje é sem duvida alguma um dos tipicos dias em que eu escrevo aqui.
dias ruins, fatidicos, cansativos, chatos, filhas da puta. é, é bem por ai mesmo.

sei lá, percebi algumas coisas nesses ultimos dias. amizade a gente só faz uma vez na vida (não uma, faz algumas, mas to fazendo algo usando de proporção). sinceridade pode ser uma arma, dependendo do momento em que é usada. mentira também, mas você deve mentir mais, e ser menos sincero. sinceridade a cada dia que passa é mais desvalorizada e mais ridicularizada.
faça muitos inimigos. e tenha sempre eles, cada vez mais perto.
não se deixe entregar. uma frase, um ato, um pensamento, e pronto, tudo vai por água abaixo.


be strong, don't be afraid.


é o melhor conselho que posso dar nos dias de hoje.
e quem achar que estou errado, que fale a verdade. afinal, não sou eu o dono dela.


-marcelo

15 de setembro de 2009

prayer.

É minha gente. Tudo que é bom, que te da algum tipo de esperança, em geral, aquilo em que você bota fé, não da certo.

Como o UniFestRock de Campinas. A gente se inscreveu, nem botando muita fé que aquilo daria em alguma coisa. Tocamos nossa vida, continuamos com a nossa musica, sem demais pretenções.
Eis que, somos subitamente chamados como uma das 36 bandas finalistas.

Poxa, para quem está acostumado a tocar só no mesmo palco, dentro de "casa" por assim dizer, sair da cena montessionense de bandas independentes e partir para uma cidade grande, para um festival visado, por bandas do Brasil, no qual são sempre encerrados com ótimos shows (como a da edição desse ano, que contava com Velhas Virgens, Cachorro Grande e Kid Vinil), foi no minimo excitante e emocionante.

Chegamos lá, na quinta-feira a tarde, já tinham algumas bandas, nada muito intimidador, alguns como umas poses mais estrelinhas, mas nada fora do comum. Achamos que seria algo no minimo engraçado tocar dentro de um circo.

Na hora que a galera começou a se apresentar, deu pra perceber como seria mais ou menos a parada. Várias bandas com um som legal, interessante, estilos mais alternativos/underground que eram boas, mas também diversas com um som mais polido, tipico, comercial por assim dizer.

Chegamos nós, a banda Destilados de Monte Sião, com um som, digamos, atípico, mas que também não foge as vertentes do rock. Chegamos e tocamos. Apesar do retorno pouco audivel, e da total falta de noção, que pelo menos eu (baterista) estava tendo sobre qual seria a impressão do público quanto a imagem da banda, subimos e fizemos o nosso show.

Impacientes ficamos aguardando o final do festival, tanto para ver o show do Velhas Virgens, quanto para saber qual seria a situação que ficariamos, se teriamos passado ou não.

Pra encurtar a história, não, não passamos para as finais. Minhas sinceras desculpas para nossos fãs (se é que temos algum), mas fazer o que, um dia a gente perde, outro a gente ganha.

Quero parabenizar a galera das outras bandas, pela vitória, e agradecer as (poucas) bandas que fizeram contato conosco la dentro do festival, enfim, a todos que gostam do nosso som.

É, ganhar não deu. Mas não tem problema não. Sabem, o nome da banda normalmente inflite na personalidade dos integrantes, no nosso caso não poderia ser diferente.
E sabem o ditado de que para afogar as mágoas é bom uma boa e velha cerveja? Não tenho nada o que negar sobre isso.


-marcelo

2 de setembro de 2009

dear mama...

Sei lá, as vezes me canso de postagens sérias, com nexo, com fundamento ou com algum tipo de teor literario.
As vezes é legal fazer um post unicamente pra dizer que você está/não está nos melhores dias, que está estranho, que está feliz, ou triste, porque seu computador quebrou e não foi na sua mão.

Quero um iPod, uma vida menos complicada, uma tatuagem e uma chance.
Seriam isso coisas muito complicadas? Todas elas?

Meu professor hoje disse que não vê nada de bom em blogs, orkut, twitter. Que todos escrevem para que outros leiam, não para si mesmo.
Bom, se sou o único que vê isso, posso dizer que escrevo pra mim. Segundo, não escrevo na intenção de ser conhecido na internet, de ter fãs, na esperança de alguém ler.
Escrevo porque dia a dia sinto vontade, necessidade de passar, ou de tirar de mim, o meu dia, como foi, como penso, como me sinto. Não me sentiria bem e ficar quieto, simplesmente ver a vida passar, nada retirar e nada acrescentar.


entenda como quiser.

-marcelo

1 de setembro de 2009

talk shows on mute.

ta meio estranha a situação atual. sério.









a gente não leva a sério umas coisas que fala, e quando percebe, elas realmente fazem sentido (ou começam a bater diferente no coração/cabeça).
sei não o que ocorre.







complicado é que eu to sendo sincero. em tudo que digo.
espero um voto de confiança.

ps: vou tocar em campinas dia 10/09/09, no UniFestRock, no Unicirco, Parque Taquaral. se der compareçam (se é que alguém perde o tempo lendo isso aqui).




sick sad little word. i think that might be "love".
-marcelo

23 de agosto de 2009

the day that never comes...

Eu pretendia deixar só meu texto antigo hoje postado. Mas to querendo escrever sobre mais um absurdo que pra variar passou meio despercebido esses dias.

Cheguei a fazer um tópico todo sobre o absurdo da Igreja Universal, porque convenhamos, aquilo lá beira o absurdo, a intolerancia, a arrogancia em chamar o povo de BURRO na cara dura. Tá bom, ai chega essa semana, e o que acontece? Arquivamento de todos os processos envolvendo José Sarney.

Vamos por partes. Como todos sabem, o senado é uma "maracutaia" sem tamanho/precedentes, todo mundo metendo a mão (generalizando, claro. Tem gente competente lá), ninguém quer saber de nada, volta e meia colocam uma lei em pauta, quebra-pau, intrigas entre direita e esquerda. Nada fora do comum.
Primeiro passo alarmante: abrir um processo. Grande parte da galera que ta lá rouba, isso é um fato. Rola sempre aquela de direita/esquerda quererem tomar o poder, ai então é uma troca de elogios, uns jogando os podres dos outros no senado. Até ai acho saudavel, porque se os parlamentares não soltarem os podres dos próprios parlamentares, nós é que nunca saberemos que destino teve aquela escola/hospital/casa popular, que não saiu nem do papel. As denuncias são vastas, envolvem desde uso indevido de poder pra beneficiar parentes (o certo é cargos assim serem preenchidos por meio de concurso publico), até fraude em venda de terras (pois é, não é só você que sonega imposto/cria nota fria).
Segundo passo alarmante: não foi UM processo/representação. Foram 11, e adivinhe? Os 11 foram arquivados. Porra, um ainda vai, dois a gente pensa. Agora 11? Vamos ver, que é que tem o poder de arquivar/não-arquivar um processo? O presidente do Conselho de Ética. Tá certo, quem é o cara? Paulo Duque (PMDB - RJ). Bom, vejamos, O CARA É ALIADO DO SARNEY! Que crédito pode ser dado a um processo que é arquivado por um ALIADO da pessoa processada? (se você pensou em NENHUM, a resposta está certa)

O pessoal não está prestando atenção. O Sarney pode muito bem ta indo pro pau, mas ele já sabe, se ele cair, muita gente cai junto. O pessoal pra não cair, tá tentando colocar panos quentes, apaziguar, fingir que não passou de uma balburdia, e que já está tudo lindo, tudo azul. Não é bem por ai. Mas vejam, o Palmeiras ganhou! O Rubinho Barrichello também ganhou! A Miss Brasil foi eliminada. Qualquer noticia boa que vier, é motivo pra esquecer a palhaçada que já virou a politica no Brasil.

Conselho de Ética, que de ética só tem o nome, população que não liga pro que ta acontecendo, acha que tudo é culpa da crise. Isso é pura incompetencia.

Mas quem sou eu pra abrir minha boca. Nem conta eu pago.
Só assisto, de camarote, cada dia a abençoada terra que os portugueses transformaram em puteiro, zona, depósito de bandidos, dar seus frutos.


Na minha terra tem palmeiras, onde canta o Sabiá.

quem me dera.




(fugindo do assunto, preciso de uma chance...)
-marcelo

disappear

Texto antigo. Mas faz parte também, já que ninguém lê!


“...em meio a terceira xícara de café, a esse sentimento demente que me assola o peito, e o milésimo pensamento fútil, inicio essa reflexão sobre um poema, que na realidade supera a real denominação de poema, e já se torna algo como um pensamento, um sentimento, uma reflexão. Assim sendo, inicio agora a reflexão sobre outra reflexão, muito mais renomada que minha singela opinião aqui mostrada, mas que no entanto, não deixa de ser digna como o mais conhecido dos romances de Shakespeare.
...pouco, diria. Quase nada. No entanto, sábios são aqueles que conseguem absorver, mesmo que 10%, de um fabuloso pensamento como o mostrado no poema. Sim, diria eu que este é, sem sombra de duvida, uma das mais sinceras e belas palavras a cerca da vida, que já foram escritas. Afinal, o mundo vive hoje num constante disparate em que todos querem se mostrar melhores, mais poderosos, mais ricos... No entanto, fogem da real significância do próprio ser, do próprio viver. Afinal, de que serve toda glória de se mostrar superior ao próximo,de se mostrar influente, simplesmente para alimentar o próprio ego, sendo que a felicidade não será encontrada em nenhum escritório, em nenhuma conta bancaria, em nenhuma festa. A felicidade, real felicidade, não é encontrada por todos, pelo único motivo de que todos procuram onde foram ensinados, e não onde realmente deviam procurar. Que é na própria vida, no próprio viver...
concordo que é absurdo, a primeira vista, a idéia de que a felicidade se encontra no simples respirar, no simples acordar de cada manhã. No entanto, por que a felicidade haveria de estar em algum outro lugar? Não procuramos felicidade, pois a felicidade somos nós que fazemos. Não procuramos amigos, procuramos pessoas que nos façam felizes. A nossa eterna busca por felicidade, sempre é, e sempre será incompleta. Por quê? Pelo simples fato, de que a nossa ignorância nos cega a ponto de não encontrarmos o que já se encontra em nós mesmos. Procuramos tanto, a felicidade em outra pessoa, que acabamos por esquecer de procurar no lugar mais óbvio. Que local é esse? Em nós mesmos...
a real felicidade, se encontra naquele que a sente. “Rega tuas plantas, ama tuas rosas. O resto é sombra de arvores alheias”. AMA-TE, antes de procurar amor. ADORA-TE, antes de procurar por idolatria.
Nada foge disto. Procuramos a vida toda, por alguém como a gente, alguém que entenda dos nossos sentimentos, alguém compreensivo, alguém que nos acaricie quando sentimos carência, alguém que nos abrace com ardor, com ternura. E com isso, simplesmente fechamos os olhos, pra realidade, pra vida. NÃO HÁ NINGUÉM QUE TE ENTENDA! Mesmo que você procure a vida toda, por sua alma gêmea, nunca a encontrará; “Só nós somos sempre iguais a nós - próprios.”
Viver, simplesmente viver. É isso que todos nós deveríamos buscar durante nossa passagem pela Terra. Ao invés de se importar tanto com sentimentos, com afetos, com vínculos, com amores. A maioria dos grandes filósofos, eram sozinhos. Sem mulher, filhos, família. Seriam eles loucos, por manterem uma vida de reclusão, alucinações, demências? Ou, seriam eles gênios, que ao verem que a felicidade estava num simples acordar, num simples se levantar, perceberam que qualquer outra forma de vida que pudesse corromper essa perfeição era descartável?
“A solidão é a sorte de todos os espíritos excepcionais.”
Arthur Schopenhauer
A vida, não é como a matemática, a álgebra, a geometria. A vida, simplesmente é a vida, sem mais nem menos. Não espere um mundo de fantasia, nem histórias comoventes, muito menos milagres. Não questione sobre o sentido disso tudo. “Para onde vamos? De onde viemos? O que é a vida?”. Perguntas normalmente comuns, no entanto, tenho uma visão extremamente fechada sobre o sentido, futuro, passado. Minha visão é a de que, nenhuma visão está certa. Não há um porque, nem tudo pode ser explicado com simples palavras, e nem precisa ser explicado. Basta existir, para ser importante. Nada precisa ter um significado obscuro, uma interpretação. A vida, está aqui com o simples objetivo de ser vivida, e não de ser explicada. Portanto, não a questione. Ela nada pode dizer-te.
Termino então, conservando a idéia de que uma vida, não tem por objetivo ser definida, ser delimitada, ser trilhada. A vida, tem como objetivo central, simplesmente ser a vida. Sem indagações sobre presente, passado e futuro. Nada precisa de um significado, para existir...”


“A vida não é a que cada um viveu, mas a que recorda
e como a recorda para contá-la.” - Gabriel García Márquez
“O Homem vive preocupado em viver muito e não em viver bem,
quando afinal não depende dele viver muito mas sim viver bem”. - Séneca


-marcelo

20 de agosto de 2009

you're gonna go far, kid.

Impunidade.


Acho que essa é a primeira palavra que deveria ser lembrada quando pensamos no Brasil. Sinceramente, não sei direito como é que isso aqui está de pé (se é que já não começou a ruir). E isso não difere de cor, credo, classe social nem de status na sociedade.

É minha gente, tem deputado, parlamentar, empresário, motoboy, desempregado, e agora pasmem, até bispo nessa brincadeira.

Tá, agora falando sério, é absurdo que ninguém consiga enxergar o que está se passando, ta passando na Globo, na Veja, IstoÉ, só na Rede Record que não (por que será?).
Eu peguei pra ler essa parada, porque tava meio "away" do que tava se passando na televisão (só tinha sido informado da briguinha globo/record, coisa que achei normal), ai me deparo com um grandioso esquema de lavagem de dinheiro, apropriação indevida de dinheiro, sonegação, formação de quadrilha e o caralho a 4 (o blog é meu, eu posso chingar).
Será que ninguém percebe o IMPÉRIO que esse cara ta fazendo? (pra inturmar a galera, o senhor Edir Macedo montou um MEGA esquema de lavagem de dinheiro por meio da Igreja da qual ele é "pastor", a Igreja Universal do Reino de Deus. O cara prega a lei do "dar para receber", quanto mais você da a Deus, por meio de dinheiro, posses entre outros, mais Deus vai te dar em troca. E nessa brincadeira, o cara consegue arrecadar com suas igrejas - que no momento são dispostas em 160 PAISES - cerca de 1,4 bilhão livre de impostos, visto que igrejas são isentas de taxa tributaria para dizimo. Ai por meio de empresas laranjas, que dizem executar serviços a igreja, ele coloca o dinheiro fora do pais. Posteriormente, em nome das mesmas empresas, ele pede EMPRÉSTIMO aos bancos, com isso pega o dinheiro de volta, e com isso compa mansões em Miami, um jatinho particular, constrói casa em Campos do Jordão avaliada em 2 milhões, entre outros).
Pô, eu não acho ruim o cara ter uma igreja. Acho que deve mesmo ter, pro pessoal ter onde se apegar, ter fé. Muitas pessoas em depressão, problemas com alcoolismo, ex-presidiarios voltam-se para essas igrejas, e com isso conseguem mudar de vida, esse é um ponto positivo, acho legal e tudo mais. Mas por meio do dinheiro de assalariados, que vendem o almoço pra comer na janta, o cara ta nadando no dinheiro, chega a colocar metas na arrecadação, tipo R$150.000,00 por igreja, coisas abusivas. Ta extorquindo a galera na cara dura, e o TJ nada ta fazendo!


Sei lá, acho que chegamos ao cúmulo do individualismo. Ninguém pensa em ninguém, só no bem próprio.

Como disse o amigo Matías DeFederico, ao sair do time Húracan - ARG:
"O último que sair, apague a luz."



-marcelo

18 de agosto de 2009

you know that i'm no good...

Complicado essa de querer ser publicitario.
Tô falando sério meu. Pra começar tem essa de ter que escrever tudo certo, estudar de tudo um pouco, saber cores, sabores. Campo concorridissimo, desde publicitarios propriamente ditos, até designers, administradores, marketeiros. Todo mundo querendo (e conseguindo) um certo espaço no meio da bolha que engloba campanhas, folders, planejamento, pesquisa, publico, emissor, televisão, radio, internet. É um rolo fdp...

E ainda tem essa, a gente praticamente cria tendências, ou pelo menos direciona o público para o qual estamos trabalhando para certo lugar, damos opções, diretrizes. Ai vem hoje uma mulher e me pergunta se gosto se discute. A principio a gente pensa "claro que não, o que define o gosto é com o que a pessoa se sente bem, se sente confortavel. Depende da cultura, da bagagem, do local onde a pessoa mora. Há vários aspectos, mas a principio gosto não se discute".

Tá certo, não se discute. Mas e ai, você vai fazer, digamos uma camiseta. Como é que você não vai limitar o gosto da pessoa a sua própria criação? O que você fez, é algo de seu gosto (particular ou comercial), agora o gosto pessoal não é meramente coisa de "Cada um tem o seu", está mais pra "Cada um direciona o seu pra algum lado". E o que direciona o gosto? Campanhas, amigos, internet, enfim, diversos fatores.

Pra que será que a Nike, Adidas, Puma patrocinam na sua maioria jogadores de futebol? Para que todos vejam seus produtos em pessoas de sucesso, logo almejem o mesmo material, para quem sabe estarem mais parecido com o tal jogador. Da mesma maneira que colcci, carmin, triton, CK, direcionam para outros grupos sociais, que são normalmente assistidos pelo seu público alvo.

É disso que se trata. De induzir, mesmo que involuntariamente, para o produto que você deseja promover.

Só há dois extremos nesse jogo de indução: de que modo usar e com que finalidade usar.



para bem? mal?




isso ainda será decidido.

-marcelo

17 de agosto de 2009

she's sweet...

é, mais uma vez, quando a gente acha que ta tudo na paz, tudo quieto, passa algo por você, faz você sair um pouco de si, correr, suspirar, imaginar.
e tão inesperado como veio, vai embora. deixando a vontade, o sonho. tudo pra trás.





na vida é algo meio isso.
meio aquilo.


vai saber.



-marcelo

13 de agosto de 2009

Times like THIS!

é tudo tão complicado assim mesmo, ou é comigo que a coisa acontece diferente?
sei lá, todo mundo precisa tomar na cabeça pra ver se acorda, pra ver se disperta e percebe que não é bem por ai que acontece. adquirir maturidade é necessário.

sabe, estar vivendo numa utopia as vezes é complicado. pare e pense: você está numa cidade onde poucas pessoas te conhecem, alguém está pagando o aluguel, alguém paga a faculdade, alguém te da dinheiro a semana toda, ta certo. esse dinheiro vem DA ONDE? o que você ta fazendo pra merece-lo (se é que merece)? precisamente, POR QUE me nego a perceber que isso tudo que estou vivendo, tudo num sentido real e literal, beira quase que totalmente o nonsense, o contrário do realismo, a mentira?

ta na hora de mostrar que o "homenzinho" do papai, aquele que brincava de bonequinho, jogava video-game e mijava na cama cresceu, e deve-se fazer com que os outros percebam isso. não por meio de palavras, de meio-termo, de mentiras. por meio de atitudes.



preciso vagar por ai, receber mais algumas doses de realidade (ou de vodca). ainda não me acostumei a essa nova realidade.

e viva, mais uma vez, aos sonhos despretensiosos, os quais você tem a absoluta certeza de que nunca se concretizaram.
or not.

-marcelo

7 de agosto de 2009

será que o senhor se zangou?

acho interessante como hoje em dia, coisas que anteriormente tinham todo valor, já não valem nada.
verdade, pare e pense um pouquinho só. o sal já foi moeda, hoje não passa de tempero, o exército já tomou o poder, hoje perdeu incentivo financeiro por parte do governo, e teve de diminuir seu contingente em 75%.

bem como, algumas coisas continuam a valer muito, enquanto outras continuam valendo nada. o petróleo, diamantes, ouro, água, independente do lugar, estação do ano, valem muito. agora saúde, educação, miséria do próximo, desigualdade, corrupção, parecem ter ainda o mesmo valor: zero.

não é querer pregar socialismo, porque na minha opinião um mundo sem ambição é utopia, em que todos seriam iguais perante a Deus (ou não), enfim, agora pregar a IGUALDADE é coisa diferente. igualdade não de espirito, não perante a Deus, Buda, Ganesha ou qualquer outra entidade, igualdade perante os homens, igualdade de sair de casa, sem largar filhos, mulher no sertão, na fome, na miséria. Igualdade de oportunidade, de todos terem chance de ter algo, de poder comer bem, de se vestir, de não precisar roubar um pão pra se alimentar. Igualdade entre homens comuns e governantes, porque a partir do momento que uma lei anula a outra, que todos devem ser julgados igualmente perante a lei, no entanto parlamentares tem um tribunal especial, no qual a pena máxima que já vi ser aplicada foi a perca de cargo, abdicação, prisão domiciliar, isso não é igualdade, isso é privilégio.

quando se cogita um reajuste de aposentadoria, de 2%, já vi parlamentar falar que isso é absurdo, abusivo, impensável. mas ai na semana seguinte discutem na maior tranquilidade reajuste salarial para sua classe, de digamos assim, 35%. como se os milhões que faturam mensalmente fossem realmente pouco, num pais que o salario minimo fica próximo a R$500,00.

valores dados a cada cidadão só são indicios de uma sociedade precaria, futil e despreparada, pois isso virou um antro de cães raivosos, onde um só espera o outro bobear, pra lhe puxar o tapete.

sei lá, acho que era só isso. sou novo por aqui.


-marcelo

31 de julho de 2009

pardon me

that's the issue.

as vezes, descobrimos tarde demais a hora de sentir remorso, arrependimento ou força pra arriscar. é por isso que vivemos pensando em momentos passados, remoendo antigas atitudes, e perpetuando antigas ações.





reNew, reBorn, reMake.






esse foi o meu último beijo, satisfiz o meu desejo, o pior foi te perder.
- marcelo

28 de julho de 2009

Não sou o Marcelo...
Não tenho inspiração...
Não vou visitar sempre....

Só tinha uma saudade do tamanho do mundo que não me deixou dizer não a uma proposta totalmente além de mim...

Cadan colaborador!

E, pra terminar meu primeiro post, eu gostaria de dizer umas palavrinhas:
Pateta! Chorão! Desbocado! Beliscão! Obrigado....

Cadan!

27 de julho de 2009

algumas vezes vale a pena...

é, vale a pena. vale a pena fazer uma escolha errada, vale a pena chegar em terceiro lugar, vale a pena não se apaixonar perdidamente a cada esquina que se cruza, pensar em largar tudo e sentir mesmo vontade de levar ao pé da letra o largar, pensar que a vida não ta ganha, e que você não é aquele carioca sortudo que ganhou uma bolada em dinheiro, colocar os pés no chão, almejar uma vida diferente da que você já vive, porque viver sossegado, relaxado, sem querer nenhuma mudança é se acostumar ao marasmo, e isso não é viver, é deixar o tempo passar.
valem a pena respostas erradas, uns devaneios em meio ao papo sério, viajar. sentir o corpo se mantendo estático, mas a mente estar em um local totalmente diferente, abstrato. pensar errado, errar com alguém, sentir-se errado, culpado, inutil. forma o carater, transforma o cidadão, faz a gente se ver em diversos outros lados da moeda, se projetar em outros focos.

tudo isso vale a pena, vale a pena perder, ganhar, iludir, se iludir, amar, sofrer. não pense só em acertos, não viva só por alguém.

se precisa de um conselho, peça algo para beber, um cigarro e aprecie a paisagem. 2 minutos de desatenção não vão ser tão desperdiçados, diante do tempo que se gasta almejando o mundo e se esquecendo da realidade.


boa noite, ou não.

21 de julho de 2009

... depois de um tempo.

resolvi talvez voltar a escrever aqui. TALVEZ. ninguém lê, isso só serve entao como um total desabafo mental sobre o que eu tiver interessado em dizer...

o tópico do dia, é o futebol.
sou corinthiano, e fiquei PUTO ao descobrir que o Cristian tinha sido vendido.
estava pronto para chamar o cara de filha da put*, lazarento, sem familia, vendido, viado e diversos outros nomes que não cabem a mim explicitar agora. foi então que eu vi uma coisa, que não via a muito tempo.
o cara, na coletiva, CHOROU! fiquei estarrecido, poxa, o cara vai embora, mas não é pra tanto. foi então que lembrei de como era antigamente, do cara ter AMOR ao clube em que joga, e não de qualquer liga menos conhecida ser o Prostibulo, casa de tolerancia, zona ou o nome que você achar melhor da liga européia.

hoje o pessoal só pensa e fazer uns golzinhos no Barueri, Vasco, Flamengo, sei la, QUALQUER que seja o time, já na esperança de ser sondado por time de fora. Ta certo, vou culpar o cara? até eu que sou meio tonto queria ganhar em euro, e bastante ainda. só que é o seguinte, quer ser assim, SEJA, ninguém (ou quase ninguém) vai te culpar. Agora, em entrevista não vem com conversinha de que está num ótimo momento, que seu sonho sempre foi jogar no corinthians, palmeiras, itumbiara, o time que seja. se daqui a 3 ou 4 rodadas, você se sobresai, e vai embora, deixando o elenco que estava certo, o time que tava ganhando, ou o raio que o parta, pelo menos não vai ter motivo pra ser chingado por cada corinthiano, palmeirense ou santista da vida!

não vamos culpar ninguém por querer mudar de vida, só não me venham com ladainha de que nunca abandonaram o time e coisas do gênero, senão é pedir pra ser chingado!


sem mais.